Arquivo da categoria: Projetos

Projeto de ampliação do S2ID para funções de gerenciamento pelos estados e integração com o Sistema Eletrônico de Informações (SEI)

Logo S2id

Objetivo Geral do Projeto

Desenvolver ferramentas complementares no S2ID para apoiar o processo de homologação de Situação de Emergência e gerenciamento de informações pelos estados e integrar o controle de documentos realizado no S2ID com o SEI.

 Atividades:

Atividade 1 –  Construção do Painel de Controle para os Usuários Estaduais

  • Levantamento de requisitos e formalização dos casos de uso
  • Desenvolvimento do sistema
  • Etapa de teste
  • Homologação
  • Documentação

Atividade 2 – Integração entre o S2ID e o Sistema Eletrônico de Informações (SEI)

  • Levantamento de requisitos e formalização dos casos de uso
  • Desenvolvimento dos serviços de integração de dados
  • Etapa de teste
  • Homologação
  • Documentação

 

Atlas Brasileiro de Desastres Naturais 1991-2012

Atlas

Resumo:

O Atlas Brasileiro de Desastres Naturais 2012 reúne 27 volumes, um para cada Estado e o volume Brasil.Para a sua realização foram compulsados os documentos oficiais e não oficiais sobre desastres, no período de 1991 a 2012, os quais foram analisados e relacionados com outras variáveis responsáveis para a ocorrência de desastres. O Atlas Brasileiro de Desastres Naturais 2012 está disponível no site do Sistema Integrado de Informações sobre desastres – S2ID. Acesse em:

Objetivos: Produzir a atualização de dados e melhoria na qualidade de informação disponível sobre desastres naturais por meio da 2ª edição do Atlas Brasileiro de Desastres Naturais.

Produtos:

  •  27 Volumes, um para cada Estado e o volume Brasil, da 2° Edição do Atlas Brasileiro de Desastres Naturais.

Atlas 1991 a 2012

Imagens:

A seguir, é possível acessar as imagens dos mapas de cada estado e do volume Brasil. Deve-se fazer a citação da fonte de acordo com as imagens de cada volume utilizado.

Mapas Atlas 2012 – Brasil Mapas Atlas 2012 – Acre Mapas Atlas 2012 – Alagoas Mapas Atlas 2012 – Amapá Mapas Atlas 2012 – Amazonas Mapas Atlas 2012- Bahia Mapas Atlas 2012- Ceará Mapas Atlas 2012- Espírito Santo Mapas Atlas 2012 – Goiás Mapas Atlas 2012 – Maranhão Mapas Atlas 2012 – Mato Grosso do Sul Mapas Atlas 2012 – Mato Grosso Mapas Atlas 2012- Minas Gerais  Mapa Atlas 2012 – Pará Mapas Atlas 2012 – Paraíba Mapa Atlas 2012 – Paraná Mapas Atlas 2012 – Pernambuco Mapas Atlas 2012 – PiauíMapas Atlas 2012 – Rio de Janeiro Mapas Atlas 2012 – Rio Grande do Norte Mapas Atlas 2012 – Rio Grande do Sul Mapas Atlas 2012 – Rondônia Mapas Atlas 2012 – Roraima Mapas Atlas 2012 – Santa Catarina Mapas Atlas 2012 – São Paulo Mapas Atlas 2012 – Sergipe Mapas Atlas 2012- Tocantins

Estudos dos Impactos Econômicos dos Desastres no Brasil

Sem título

Resumo:

O projeto “Estudos dos Impactos Econômicos dos Desastres no Brasil” é fruto do acordo de Cooperação Técnica entre o CEPED UFSC  e o Banco Mundial, firmado em dezembro de 2015.

Objetivos:

  • Adaptar a Metodologia DaLa (Damage and Loss Assessment) para avaliação de perdas e danos relacionados a desastres naturais no Brasil; e
  • Elaborar relatório final apresentando os dados e informações sobre perdas e danos associados a desastres naturais no Brasil nos últimos 20 anos.

Projeto Capacitação S2ID

 

s2id

Resumo:

A Secretaria Nacional de Defesa Civil (SEDEC) juntamente com Centro Universitário de Estudos e Pesquisas sobre Desastres da Universidade Federal de Santa Catarina (CEPED UFSC) vem por meio deste projeto propor o Curso de Capacitação a distância para usuários do S2ID módulos de Registro e Reconhecimento e de Resposta.

A utilização do S2ID na gestão dos desastres se faz necessária, uma vez que em função do tipo de desastre ocorrido, os repasses podem ser caracterizados como de transferência voluntária, por meio de convênios ou por meio de transferência obrigatória, dentro do prazo estabelecido em lei. Os processos, embora semelhantes, apresentam diferenças quanto ao ritmo, sequenciamento e aprovações dos processos pelos departamentos envolvidos, sendo evidenciadas as dificuldades relacionadas aos aspectos de controle, acompanhamento e fiscalização dos recursos.

Objetivos: Ofertar dois cursos à distância sobre S2ID, 3ª e 4ª edições, sendo a primeira oferta em março/2014 para 2.000 (dois mil) alunos e a segunda oferta em agosto/2014 para 2.000 (dois mil) alunos.

Produtos:

  • Desenvolver material virtual com os novos conceitos referentes ao S2ID;
  • Desenvolver vídeo-aulas explicativas sobre o uso do sistema;
  • Capacitar 4000 (quatro mil) alunos ao total.

Livro Completo – Curso de Capacitacão para Usuários do S2ID: módulos de Registro e de Reconhecimento 3ª edição

Teleconferência 3ª edição, parte 1 Teleconferência 3ª edição, parte 2

Videoaula 1 Videoaula 2 Videoaula 3 Videoaula 4 Videoaula 5 Videoaula 6 Videoaula  7

 

Assessoria Técnica e Avaliação de Municípios – Análise do Uso e da Aplicação de Soluções a Partir de Produtos de Gestão de Risco Entregues Pelo Governo Federal a Municípios de Santa Catarina

 

CMB_3968

Resumo:

O projeto propõe um trabalho completo de avaliação e intervenção, com viés de pesquisa junto a 5 municípios catarinenses, e um trabalho simplificado de identificação de boas práticas e lacunas junto a 30 municípios catarinenses. Em ambos os casos, os municípios selecionados devem receber até o final de 2014 os documentos do projeto de Mapeamento de Risco, especialmente; e eventualmente outros produtos articulados ao PNGRD do Governo Federal.

 Objetivos: Produzir conhecimento sobre o perfil dos municípios quanto ao uso e aplicação dos produtos de gestão de risco entregues pelo Governo Federal entre 2013 e 2014, em especial os relacionados ao projeto Mapeamento de Riscos de Desastres, executado pelo CENAD/MI.

 Produtos:

  • Metodologia e indicadores de avaliação do processo.
  • Diagnóstico simplificado de apropriação de produtos de gestão de risco fornecidos pelo governo federal.
  • Avaliação e intervenção com viés de pesquisa científica:
    • 1ª Avaliação (aplicação de campo, tratamento e análise de dados).
    • Assessoria técnica e capacitação de gestores públicos locais (adequada ao perfil identificado no processo de avaliação).
  • Publicação final
    • Diagnóstico simplificado, avaliação e resultados obtidos e orientações a gestores públicos municipais de 5 municípios catarinenses.

Relatório Final do Projeto 

Metodologia e Resultados da Avaliação dos Municípios Participantes

PERFIL: Brusque  PERFIL: Luis_Alves PERFIL: Palhoça PERFIL: São José PERFIL: Timbó

Avaliação e Classificação da Vulnerabilidade a Desastres

Ind_Vuln_B_C

Resumo:

O projeto teve como finalidade contribuir com a construção de indicadores, que permitam a avaliação de vulnerabilidade a desastres nos 5 município de interesses  e a gestão dos riscos direcionando as ações para as áreas prioritárias. Também possibilitou produzir dados e informações para orientar a reflexão sobre os processos de vulnerabilização ao risco de desastre no Brasil, ainda que a metodologia não abranja, por si só, todas as problemáticas relacionadas. Tendo em vista o objetivo pontual de construir instrumentos que favoreçam a gestão local dos riscos, no âmbito municipal, elaborou-se uma metodologia para ser aplicada em áreas socioterritoriais específicas, de forma setorizada.

Objetivos: Construir e aplicar metodologia para avaliação de vulnerabilidade para mapeamento de áreas suscetíveis a deslizamentos e inundações em 5 municípios do Estado de Santa Catarina

Produtos:

  • Metodologia para avaliação de vulnerabilidade em áreas suscetíveis a inundações e deslizamentos;
  • Mapas com a distribuição socioespacial da população e infraestrutura local da área de investigação dos cinco municípios selecionados;
  • Mapas com a classificação da vulnerabilidade das áreas de investigação dos cinco municípios selecionados;
  • Descrição das soluções técnicas e custos das áreas investigadas nos cinco municípios selecionados.
  • Avaliação da capacitação de proteção e resposta dos 5 municípios de interesse

 

Obs:  Apenas alguns mapas foram anexados abaixo em função do espaço disponível.

Relatório de Intervenções Estruturais – Alfredo Wagner

Relatório Capacidade de Proteção e Resposta – Alfredo Wagner

Mapa de Elementos de Interesse – Alfredo Wagner

Mapa de Elementos de Interesse e Setores de Risco – Alfredo Wagner

Relatório de Vulnerabilidade a Desastres – Alfredo Wagner

Mapa de Densidade Demográfica por Setor Censitário – Alfredo Wagner

Mapa de Vulnerabilidade  Socioeconomica e de Infraestrutura Urbana e Ocupação – Alfredo Wagner

Mapa de Vulnerabilidade do setor 11 – Alfredo Wagner

Relatório Intervenções Estruturais – Anitápolis

Relatório Capacidade de Proteção e Resposta – Anitápolis

Mapa de Elementos de Interesse – Anitápolis

Relatório de Vulnerabilidade a Desastres – Anitápolis

Mapa de Densidade Demográfica dos Setores de Risco – Anitápolis 

Mapa de Vulnerabilidade a Desastres – Anitápolis

Relatório de Intervenções Estruturais – Balneário Camboriú

Relatório Capacidade de Proteção e Resposta – Balneario

Mapa de Elementos de Interesse – Balneário Camboriú 

Relatório de Vulnerabilidade a Desastres – Balneário Camboriú

Mapa de Densidade Pooulacional por Setor Censitário – Balneário Camboriú

Mapa de Vulnerabilidade Socioeconomica e de Infraestrutura Urbana e Ocupação – Balneário Camboriú 

Mapa de Vulnerabilidade do Setor 01 – Balneário Camboriú 

Mapa de Vulnerabilidade de Infraestrutura Urbana e Ocupação  do setor 01 – Balneário Camboriú 

Relatório de Intervenções Estruturais – Itajaí

Mapa de Sugestões de  Intervenções Estruturais do Setor 17- Itajaí

Relatório de Capacidade de Proteção e Resposta  -Itajaí

Mapa de Elementos de Interesse – Itajaí 

Mapa de Densidade Populacional por Setor Censitário – Itajaí 

Mapa de Vulnerabilidade – Itajaí 

Relatório de Vulnerabilidade a Desastres – Itajaí

Relatório de Intervenções Estruturais – Navegantes

Relatório Capacidade de Proteção e Resposta Navegantes

Mapa de Elementos de Interesse – Navegantes

Relatório de Vulnerabilidade a Desastre  – Navegantes

Mapa de Densidade Populacional – Navegantes

Mapa de Vulnerabilidade – Navegantes

Como resultado do projeto elaborou-se, também, o livro “Análise de Vulnerabilidade a Desastre do Município de Balneário Camboriú” disponível aqui. 

 

Capacitação em Gestão de Desastres e Ações de Recuperação Módulo III

Sem título

Resumo:

Todos os anos a Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil propõe o desenvolvimento de cursos de capacitação para os seus agentes de defesa civil, a fim de prepará-los para enfrentar os eventos adversos. Estas iniciativas se justificam porque a capacitação é um dos eixos primordiais de ação estratégica para reduzir riscos de desastre, a adequada gestão do desastre e reconstrução das comunidades afetadas.

Tendo em vista a frequência de registro de desastres no Brasil, especialmente nos meses de verão quando a incidência de chuvas provoca inundações e deslizamentos de norte a sul do país, capacitar agentes de defesa civil para gerenciar o desastre, apresenta-se como umas das prioridades atuais. O módulo III deve abordar as ações de preparação, socorro e assistência, incluindo aspectos administrativos e de comunicação a desastres.

 Objetivos: Realizar dois cursos à distância para  capacitar agentes e técnicos de Proteção e Defesa Civil acerca dos conteúdos relacionados às ações de Preparação, Resposta e Recuperação pós desastre.

 Resultados:

  • Capacitar 2700 alunos de todo o país em gestão de desastres e ações de recuperação;
  • Elaborar materiais didáticos e de referência a serem aplicados nos cursos;
  • Formação complementar de mil multiplicadores em proteção e defesa civil.                

 

Guia do Estudante

Livro texto completo – 1ª Edição Livro texto completo – 2ª Edição Livro texto módulo complementar – 1ª Edição Modulo Para Multiplicadores em Proteção e Defesa Civil – 2ª Edição                         

Videoaula 1 Videoaula 2 Videoaula 3 Videoaula 4 Videoaula 5 Videoaula 6 Videoaula 7 Videoaula 8

Relatório Final                                                          

Assessoria Técnica a Sensibilização de Municípios

DSC_0744

Resumo:

O mapeamento de risco a movimentos de massa e inundações constava no conjunto de Ações Prioritárias do Governo Federal. A meta era que até 2014 as informações de 821 municípios, com maior incidência desses tipos de desastres, já estivessem disponíveis. Essas informações deveriam ser incorporadas ao banco de dados dos municípios cujo gerenciamento de riscos e desastres se dará no âmbito da SEDEC/MI.

No ano de 2012, iniciou-se a setorização dos riscos de desastres de mais de 200 municípios do país em parceria com o Serviço Geológico Brasileiro – CPRM. A Secretaria Nacional de Defesa Civil SEDEC realizou, também, o mapeamento de vulnerabilidade de 67 municípios setorizados pelo CPRM.

Em decorrência das estratégias construídas para mobilizar as comunidades destes dois municípios do Estado de Santa Catarina a participarem do mapeamento, iniciou-se mais uma ação conjunta entre SEDEC e UFSC: assessorar a sensibilização de 29 municípios do estado de Santa Catarina, Paraná e Rio Grande Sul, visados a receber o mapeamento de vulnerabilidade nos próximos meses.

Neste sentido, o presente projeto objetivou promover ampla participação social no processo de execução e levantamento de informações para o mapeamento.

 Objetivos:

  • Assessorar a sensibilização de 29 municípios de Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul, que receberão o mapeamento de vulnerabilidade;

 Produtos:

  • Assessoria técnica às defesas civis de 29 municípios para realização de audiências públicas;
  • Relatórios de audiências e registros fotográficos de reuniões e audiências;
  • Desenvolvimento de material informativo para as comunidades.

Arquivos

Folder Final Relatório Final Relatório de Diagnósticos dos Municípios mapeados – ANEXO

Estruturação da Comissão Estadual -P2R2

P2r2

Resumo:

O projeto é uma parceria entre Ministério do Meio Ambiente e Universidade Federal de Santa Catarina, tem por finalidade o desenvolvimento de ações de planejamento e prevenção; e promover o fortalecimento e estruturação do setor de emergências com produtos perigosos no Estado, em especial da Comissão Estadual de P2R2, objetivos preconizados pelo Plano P2R2. O Centro Universitário de Pesquisas sobre Desastres – CEPED UFSC juntamente com a Secretaria de Estado da Defesa Civil de Santa Catarina, buscam executar as 12 metas deste projeto, que tem como objetivo principal Estruturar a CE-P2R2 e ampliar a área de atuação do Sistema de Prevenção, Controle e Atendimento Emergencial em Acidentes com Produtos Perigosos para outros modais de transporte, além de apresentar a caracterização e mapeamento de empreendimentos e atividades relacionadas a produtos perigosos no estado.

Objetivos: Estruturar a CE-P2R2 e ampliar a área de atuação do Sistema de Prevenção, Controle e Atendimento Emergencial em Acidentes com Produtos Perigosos para outros modais de transporte, além de apresentar a caracterização e mapeamento de empreendimentos e atividades relacionadas a produtos perigosos no estado.

Resultados: O projeto visa estruturar em Santa Catarina a Comissão Estadual de Prevenção, Preparação e Resposta Rápida – CE-P2R2 e ampliar a área de atuação do Sistema de Prevenção, Controle e Atendimento Emergencial em Acidentes com Produtos Perigosos, que atualmente consta somente o modal rodoviário, para inclusão dos demais modais rodoviário, ferroviário, duto viário, aéreo e marítimo, além de apresentar a caracterização e mapeamento de empreendimentos e atividades relacionadas a produtos perigosos no Estado de Santa Catarina.

Produtos:

  • Sistema de Prevenção, Controle e Atendimento Emergencial em Acidentes com Produtos Perigosos;
  • 3 capacitações sobre produtos perigosos para a Comissão Estadual CE- P2R2;
  • Cartilha informativa sobre produtos perigosos;
  • Aquisição de equipamento e mobiliários para estruturar a Comissão Estadual CE- P2R2;
  • Aquisição de manuais de fiscalização e atendimento de produtos perigosos;
  • Realização de Seminário sobre Produtos Perigosos para divulgação dos resultados.

Cartilha 1: Transporte de Produtos Perigosos Cartilha 2: Transporte de Produtos Perigosos

 

Projeto de Extensão do S2ID

Logo S2id

Resumo:

A importância do estabelecimento de procedimentos a serem tomados pela SEDEC a partir do registro de uma ocorrência de desastre no Sistema de Informações Integradas sobre Desastres (S2ID). De acordo com a tipologia do desastre e os danos inscritos, os plantonistas da Secretaria podem tomar diferentes medidas, como acionar auxílio da defesa civil estadual e/ou federal e demandar ações de apoio ao município na fase de resposta.

O S2ID é resultado da primeira etapa do projeto Planejamento Nacional para Gestão de Risco (PNGR), a qual produziu um banco de dados com os registros de ocorrência de desastres no território nacional, caracterizando o módulo I. Teve sua continuidade no projeto denominado Desenvolvimento do Sistema Integrado de Informações sobre Desastres – S2ID que desenvolveu o Módulo II – Módulo de registro e reconhecimento federal das ocorrências de desastres, como apoio ao Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (CENAD). Atualmente, o projeto denominado Sistema de Informações Integradas sobre Desastres – S2ID – Controle dos processos para transferência obrigatória e obras de prevenção contempla: Módulo III – Módulo de solicitação e liberação de recursos e Módulo IV – Módulo de fiscalização e prestação de contas, ambos contemplando as ações de resposta, de reconstrução e de prevenção

Objetivos: Estender o S2ID desenvolvendo os seguintes módulos:

  • V- Plano de contingência, de acordo com as diretrizes do PLANCON desenvolvido pela SEDEC;
  • VI- Mecanismos para gestão e acesso aos procedimentos operacionais para o plantão do CENAD, de acordo com as tipologias de desastres e os danos registrados no próprio sistema;

Resultados esperados: Desenvolvimento e implementação dos Módulos V e VI para o aperfeiçoamento do S2ID, de maneira que ele se torne uma ferramenta de gestão e controle tanto para os municípios e estados quanto para o governo federal.

 Produtos:

  • Módulo V – Sistematização do Plano de contingência, de acordo com as diretrizes do PLANCON desenvolvido pela SEDEC, além do material (em meio digital) contendo manual de usuário dos procedimentos operacionais para uso do módulo e um curso para 40 pessoas com duração de 8 horas na SEDEC para manuseio do sistema;
  • Módulo VI – Informatização dos mecanismos para gestão e acesso aos procedimentos operacionais para o plantão do CENAD, de acordo com as tipologias de desastres e os danos registrados no próprio sistema. Manual (em meio digital) de caráter orientativo contendo os procedimento operacionais para o plantão do CENAD englobando os 24 principais tipos de desastres ocorridos no Brasil (tabela abaixo), levando em consideração o tipo de evento, dano relacionado e ações cabíveis. Também será um curso para 40 pessoas com duração de 8 horas na SEDEC para manuseio do sistema.